Pular para o conteúdo
Início » Autoestima baixa: quais as causas e como identificar?

Autoestima baixa: quais as causas e como identificar?

A autoestima baixa influencia no dia a dia e nas nossas relações. Confira as dicas para elevar sua autoestima

Autoestima baixa: quais as causas e como identificar?
Foto: Psicologia – Motivos para ter autoestima baixa

Muitas pessoas ligam a autoestima baixa a aparência, mas não é apenas isso que influencia no seu bem-estar.

A autoestima é a concepção que você tem de si mesmo. Inclusive, essa interpretação pode afetar seu relacionamento amoroso, suas amizades, seu trabalho e até a forma como você se trata.

A autoestima alta ou baixa pode dizer muito sobre como está reagindo ao seu dia a dia e principalmente as consequências que pode te acarretar.

A autoestima baixa não é uma doença, mas está como um dos sintomas da depressão, bipolaridade, síndrome do pânico e bordeline.

Sobretudo, quando a autoestima vai bem, significa que o indivíduo está satisfeito e confiante em relação à sua identidade e valoriza a si mesmo. Por outro lado, se está baixa, há problemas de autoaceitação, amor-próprio e autoconfiança

1.Causas para autoestima baixa

A autoestima baixa pode ser um reflexo das suas relações desde a infância. Suas memorias de criança e a forma que era tratada pode ocasionar em autocritica e perda de confiança em si mesmo. O que é vivido no passado pode refletir nas suas relações depois de adulto.

Causas para autoestima baixa
Foto: Getty Images – Relacionamentos abusivos influencia na baixa autoestima

1.1 Relacionamentos tóxicos

Primeiramente, é importante destacar que relacionamentos abusivos e tóxicos podem existir em situações amorosas, amizades ou entre familiares. Há muitos casos em que uma pessoa desmerece as conquistas do outro e o faz se sentir inferior, equivocado, feio, incapaz etc.

Muitas vezes, é difícil para o indivíduo se dar conta de que está em um relacionamento tóxico e acaba acreditando em tudo o que o outro diz.

1.2 Inferioridade

autoestima baixa e sentimento de inferioridade
Fonte: O amor está na rede – Autoestima baixa e sentimento de inferioridade

De acordo com as pesquisas, se comparadas aos homens, as mulheres têm menos autoestima e segurança em si mesmas até os 40 anos. Depois dessa idade a tendência é que se equipare e as mulheres cheguem no auge aos 60, superando os homens dessa mesma faixa etária.

alguns motivos que fazem com que as mulheres mais jovens cultivem uma autoestima mais baixa, entre eles, a sociedade machista em que vivemos. No geral, todas as minorias, seja de gênero, raça ou religião, podem sofrer com percepções mais negativas sobre si mesmas.

1.3 Desemprego

De modo geral, o desemprego também é um fator capaz de abalar a autoestima. Inclusive, pesquisas revelam que, em comparação com as pessoas empregadas, as desempregadas têm o dobro de chances de sofrer com a depressão.

A dificuldade para conseguir emprego pode gerar problemas de autoconfiança, estresse e ansiedade.

1.4 Maternidade

Maternidade e tristeza pós parto
Foto: Canção nova – Tristeza pós parto

Sobretudo a maternidade pode ser bem desafiadora para muitas mulheres que, durante a gravidez e após o parto, se veem infelizes com seus corpos e passam a viver baseadas em comparações. Enfim, a autocobrança e os questionamentos sobre o novo papel como mãe, são capazes de ocasionar sentimentos de culpa e incapacidade.

2. Sintomas da autoestima baixa

Os principais sintomas são:

  • Dificuldade para aceitar as próprias limitações;
  • Falta de confiança em si mesmo;
  • Medo de enfrentar desafios;
  • Mania de colocar defeito em tudo o que faz;
  • Timidez em excesso;
  • Perfeccionismo;
  • Não se permitir errar;
  • Excesso de comparação com os outros;
  • Dificuldade para aceitar as próprias conquistas;
  • Sente-se incapaz e insuficiente;
  • Diálogos mentais negativos constantes;
  • Desmarcar compromissos por insegurança com algo, como a aparência;
  • Crises de ciúmes muito intensas em relacionamentos amorosos ou amizades.

3. Como elevar sua autoestima

3.1 Não se compare

Como elevar sua autoestima  e viver melhor.
Foto: Revista ABM – Comparação pelas redes sociais

Reconheça o valor da sua individualidade, ninguém é igual a ninguém. Cada um de nós tem qualidades e defeitos. Aliás, quando nos comparamos e percebemos que não temos uma característica igual a de determinada pessoa, nós nos achamos inferior a ela, e deixamos de enxergar as nossas próprias características.

3.2 Não cobre tanto de você

Basicamente todos nós estamos sujeitos ao erro e está tudo bem errar. Se perdoe pelos erros, e não desista de si mesmo. A vida não é uma matemática onde sabemos quando temos que acertar ou errar. Então, permita-se viver o dia a dia e as falhas também. Tudo faz parte do seu aprendizado.

3.3 Autoconhecimento

Autoconhecimento  é um grande auxiliar na autoestima baixa.
Fonte: Universal

O autoconhecimento é fundamental para a construção da autoestima. O importante é quando aprendemos profundamente quem somos, quais são nossas forças, nossas metas e desejos, aprendemos também a deixar de nos cobrar excessivamente. Isso faz com que possamos definir quem fica ou não em nossas vidas e o que faz bem para nossa saúde mental.

3.4 Autocuidado

Primeiramente, seja físico ou emocional, valorize-se. Perceba-se como alguém que necessita de cuidados, amor e afeto e faça isso por você mesma. Você é a pessoa mais importante da sua vida. Então, leia, exercite, cuide de você sempre. Isso fará com que a sua rotina gire em torno do seu bem-estar

3.5 Afaste de pessoas negativas

Afaste de pessoas negativas
Fonte: Minha vida

Apesar de a autoestima ser relacionada à visão de si mesmo, alguns comentários e críticas negativas podem alterar a autopercepção. Portanto, atente-se a pessoas com comportamento abusivo ou comentários desagradáveis, e se necessário, afaste-se.

Enfim, essas são dicas iniciais para quem tem problemas com autoestima, porém é importante entender que esse é um assunto delicado e que é necessário procurar ajuda psicológica para tratá-lo.

Tem alguma duvida ? Deixe nos comentários o que achou da matéria

Leia também: Burnout: Conheça tudo sobre o esgotamento profissional

Fonte: Vittude, Dicas de Mulher, Viva Bem

Luara Ariel em blogbeyou
Meu nome é Luara Ariel, tenho 24 anos, nasci em Goiânia. Sou uma taurina nata e adoro tudo que envolva comida kkkkk. Sou formada em Jornalismo e já trabalhei como repórter e também na redação on-line. Já participei da cobertura de alguns eventos como as eleiçõese copa do mundo. Atualmente sou corretora de imóveis. Amo tudo que envolva esporte, música e politica.