Pular para o conteúdo
Início » Espinha na vagina – Tudo que você precisa saber sobre elas

Espinha na vagina – Tudo que você precisa saber sobre elas

Possivelmente você já encontrou espinha na vagina. Encontrar uma ou outra é mais comum que você pode imaginar

espinha na vagina
Excesso de suor no local e depilação íntima com lâmina são exemplos de fatores que podem causar espinha na vagina. (Foto: Reprodução/E aí, rolou?)

Possivelmente vocêencontrou espinha na vagina. Contudo, apesar de ser um local um tanto quanto inusitado, encontrar uma ou outra é mais comum que você pode imaginar.

As espinhas são lesões de pele que podem ocorrer em várias partes do corpo, inclusive na região vaginal. No entanto, é importante entender que espinhas na região vaginal não são comuns e podem ser um sinal de infecção, alergia, ou outros problemas de saúde. É altamente recomendável que você consulte um médico ou ginecologista para avaliação e diagnóstico adequados. Elas podem ser causadas por uma série de situações.

Primeiramente, alguns deles são: excesso de suor no local, roupas apertadas que causam suor e irritação, depilação lâmina, falta ou higienização apropriada. Além disso, outras possibilidades são alteração hormonal, reação alérgica, alto consumo de alimentos com muito açúcar, derivados de leite e carboidratos brancos.

Contudo, apesar desses exemplos mencionados, tem outras explicações também.

Nosso corpo tem glândulas, distribuídas por todas as partes. Palmas das mãos e pés são as exceções. Acima de tudo, elas são responsáveis pela hidratação e evitam a disseminação de microrganismos pela pele.

Quando o sebo dessas glândulas é produzido em maior quantidade, portanto, a espinha pode aparecer.

Quando se preocupar com espinha na vagina

Espinha na vagina é doença?
Em alguns casos, espinha na vagina pode ser sinal de doença. (Foto: Reprodução/ iStock)

Como disse acima, em pouca quantidade e vez ou outra pode até ser considerado normal. No entanto, claro que há situações que merecem atenção. Sobretudo se aparece em maior frequência ou quantidade.

Antes de mais nada: se você tem condições, visite sempre um especialista. Se não, observe bem os sinais que seu corpo te dá, e quando vir algo errado, já sabe. Corre para uma consulta.

A espinha vaginal pode ser preocupante quando aparece acompanhada de outros sintomas, como dor, coceira, vermelhidão, inchaço, secreção vaginal, sangramento ou desconforto durante as relações sexuais. Esses sintomas podem indicar uma infecção vaginal ou uma doença sexualmente transmissível (DST).

Espinha na vagina pode ser também um sinal vermelho para algo mais sério que está acontecendo ou pode vir a se desenvolver. Por exemplo, algumas doenças começam a se manifestar assim.

Espinha na Vagina – Doenças mais comuns

A herpes genital, que é uma Doença Sexualmente Transmissível (DST), pode começar com algo semelhante a uma espinha. Se não tratado corretamente pode vir a desenvolver bolhas e feridas. Além disso, essa DST tem também outros sintomas de alerta, como febre e mal-estar em geral, por exemplo.

Tem outras situações em que a espinha na vagina também não é só um caso isolado. Ela pode ser sinal de bartolinite. Se trata de uma inflamação na parte intima que pode resultar em inchaço e acúmulo de pus.

Essa doença é normalmente causada pela inflamação das glândulas responsáveis pela lubrificação da vagina. Nesse caso, medicamentos podem ser necessários e, sobretudo, acompanhamento de um profissional capacitado é indispensável.

Como evitar espinha na vagina

Como evitar espinha na vagina
Se espinhas na vagina estiverem acompanhadas de coceira, inchaço, dor e vermelhidão, procure um médico. (Foto: Reprodução/Melhor com Saúde)

Cada caso é um caso. Mas temos algumas dicas que podem ajudar a diminuir o risco: .

  1. Mantenha uma boa higiene íntima: Lave a área genital com água morna e sabão neutro, evitando produtos perfumados ou que possam causar irritação.
  2. Use roupas íntimas confortáveis e de algodão: Evite roupas íntimas apertadas, de tecidos sintéticos ou que retêm umidade, pois isso pode aumentar a probabilidade de espinhas na região.
  3. Pratique sexo seguro: Use preservativos durante a relação sexual para ajudar a prevenir infecções sexualmente transmissíveis, que podem causar espinhas na região vaginal.
  4. Evite depilação agressiva: A depilação pode irritar a pele e causar espinhas, por isso é importante evitar métodos agressivos ou que possam causar lesões na pele.
  5. Mantenha uma boa alimentação e hidratação: Uma dieta saudável e equilibrada, além de uma boa hidratação, podem ajudar a manter a pele saudável e reduzir o risco de espinhas na região.

Lembre-se de que, se você notar espinhas ou outras anomalias na região genital, é importante buscar aconselhamento médico para avaliação e tratamento adequados.

Evitar o uso de roupas muito apertadas por muito tempo, as quais favorecem o suor na região da vagina, também uma orientação. Em dias de menstruação, trocar o absorvente a cada quatro horas é necessário. Importante também não espremer ou cutucar as espinhas para assim evitar infecções.

Enfim, se elas estiverem acompanhadas de coceira, inchaço, dor e vermelhidão, procure imediatamente seu médico.

Gostou da matéria do dia? Tem mais alguma dúvida sobre esse assunto?

Vem conferir mais uma matéria do Blog: Cuidados de beleza- Conheça 7 cuidados para implementar na sua rotina

Fontes: E aí, rolou?, Portal IG, VIX

10 Perguntas e respostas sobre espinhas na vagina que podem te ajudar a se cuidar melhor.

Se você está com espinha na vagina, deve se atentar e ter muito cuidado, pois pode não ser uma simples espinha. Acompanha atentamente para ficar tranquila.

  • Como os folículos pilosos da vagina podem ficarem entupidos com óleo e sujeira?

    Os folículos pilosos da vagina podem ficar entupidos com óleo e sujeira da mesma forma que os poros da pele em outras áreas do corpo.
    A vagina possui glândulas sebáceas que produzem óleo para lubrificar a região e manter a umidade.
    Quando há um excesso de produção de óleo, juntamente com a produção de suor e células mortas da pele, pode ocorrer a obstrução dos poros, o que pode levar ao desenvolvimento de espinhas.
    Além disso, o uso de produtos de higiene feminina, como sabonetes perfumados, sprays e duchas, pode irritar a região vaginal e causar o acúmulo de bactérias e sujeira nos folículos pilosos.
    A depilação também pode causar irritação e inflamação na região, o que pode levar à obstrução dos folículos.
    Manter uma boa higiene íntima, usar roupas íntimas limpas e respiráveis e evitar o uso de produtos irritantes pode ajudar a prevenir a obstrução dos folículos pilosos e o desenvolvimento de espinhas na vagina.
    Se você está preocupada com espinhas na região vaginal, é sempre recomendado consultar um médico para um diagnóstico preciso e tratamento adequado.

  • Quando os folículos pilosos da vagina ficam inflamados, isso pode levar ao desenvolvimento de foliculite, que se assemelha a espinhas?

    Sim, quando os folículos pilosos da vagina ficam inflamados, isso pode levar ao desenvolvimento de foliculite, que se assemelha a espinhas.
    A foliculite é uma condição comum que ocorre quando os folículos pilosos da pele ficam infectados por bactérias, fungos ou vírus, levando a inflamação e a formação de lesões semelhantes a espinhas.
    Na região vaginal, a foliculite pode ocorrer quando os folículos pilosos ficam entupidos ou irritados, permitindo a proliferação de bactérias.
    A foliculite pode aparecer como pequenas protuberâncias vermelhas, inchadas e dolorosas ao redor dos folículos pilosos da região vaginal, lembrando o aspecto de espinhas.
    Os sintomas da foliculite podem incluir coceira, vermelhidão, dor, pus e crostas.
    Sempre deve ser acompanhado por um médico ginecologista
    O tratamento depende da causa subjacente da foliculite, mas pode incluir medicamentos tópicos ou orais, terapia a laser ou intervenções cirúrgicas, em casos mais graves.
    Se você suspeita de foliculite na região vaginal, é importante procurar um médico para obter um diagnóstico preciso e o tratamento adequado.

  • Será que é espinhas na vagina? Por que as vezes pode confundir com Infecção por herpes genital?

    Infecções por herpes genital e espinhas são condições diferentes, mas podem ser confundidas por terem algumas semelhanças em termos de aparência.
    O herpes genital é uma infecção viral causada pelo vírus herpes simplex, que é transmitido por contato sexual. Já as espinhas são causadas pela obstrução dos folículos pilosos da pele.
    A principal diferença entre o herpes genital e as espinhas é que as espinhas geralmente aparecem como protuberâncias com pus, enquanto o herpes genital pode causar pequenas bolhas ou úlceras na região genital.
    Mas esse assunto sempre tem que ter atenção, em alguns casos, o herpes genital pode se apresentar com lesões que se assemelham a espinhas, especialmente quando as bolhas se rompem e formam crostas.
    Outra diferença importante é que as espinhas geralmente não causam sintomas além do desconforto e, em alguns casos, dor local. Por outro lado, o herpes genital pode causar sintomas como coceira, queimação, dor, inchaço e febre.
    Portanto, se você suspeita de uma infecção genital, é importante procurar um médico para obter um diagnóstico preciso e tratamento adequado.
    Sempre deve ser acompanhado por um médico ginecologista
    O tratamento para herpes genital é diferente do tratamento para espinhas, e é importante obter um diagnóstico preciso para garantir que você receba o tratamento correto.

  • Será que é espinha na vagina? Cuidado, as verrugas genitais são causadas pelo vírus do papiloma humano (HPV).

    As verrugas genitais são uma condição causada pelo vírus do papiloma humano (HPV) e podem parecer espinhas. Mas percebam que elas têm características distintas que as diferenciam de espinhas comuns.
    As verrugas genitais geralmente aparecem como pequenas protuberâncias ou crescimentos na pele que podem ter uma textura áspera ou semelhante a uma couve-flor.
    Elas podem ter uma cor que varia do branco à rosa ou ao marrom. Em alguns casos, as verrugas genitais podem parecer mais comuns do que as espinhas, mas são normalmente maiores e mais proeminentes.
    As verrugas genitais geralmente aparecem na área genital e anal e podem ser acompanhadas de sintomas como coceira, dor, sangramento ou secreção.
    O HPV é uma infecção sexualmente transmissível e pode ser transmitido por meio do contato sexual com uma pessoa infectada.
     
    Se você suspeita que tem verrugas genitais, é importante procurar um médico para obter um diagnóstico preciso e tratamento adequado.
    Sempre deve ser acompanhado por um médico ginecologista
    O tratamento para verrugas genitais pode envolver o uso de medicamentos tópicos, cirurgia ou terapia a laser, dependendo do tamanho, localização e gravidade das verrugas.
     

  • Espinhas na vagina – Por que a infecção fúngica como a candidíase piorar o quadro?

    A candidíase é uma infecção fúngica que pode afetar a região vaginal e causar sintomas como coceira, dor, vermelhidão e corrimento vaginal espesso e branco. Embora a candidíase não cause diretamente a formação de espinhas, a infecção pode levar a um ambiente propício para o crescimento de bactérias, o que pode levar ao desenvolvimento de foliculite.
    A foliculite é uma inflamação dos folículos pilosos da pele, que pode se assemelhar a espinhas.
    Quando a candidíase causa irritação ou coceira na região genital, a coçadura excessiva pode levar à irritação dos folículos pilosos, criando um ambiente propício para o crescimento de bactérias. Isso pode levar ao desenvolvimento de foliculite e, consequentemente, a formação de lesões semelhantes a espinhas.
    Além disso, a candidíase também pode causar inflamação e irritação na pele da região vaginal, o que pode favorecer o aparecimento de outras condições que causem a formação de espinhas, como acne.
    Se você suspeita de uma infecção fúngica como a candidíase ou tem espinhas ou lesões na região genital, é importante procurar um médico para obter um diagnóstico preciso e tratamento adequado.
    Sempre deve ser acompanhado por um médico ginecologista
    O tratamento para a candidíase geralmente envolve o uso de medicamentos antifúngicos, enquanto o tratamento para foliculite e acne pode variar de acordo com a causa subjacente da condição.

  • Uma infecção bacteriana pode levar ao desenvolvimento de espinhas na vagina? Como?

    Sim, uma infecção bacteriana pode levar ao desenvolvimento de espinhas na vagina. Isso ocorre porque uma infecção bacteriana pode levar a uma inflamação dos folículos pilosos da pele, que pode se assemelhar a espinhas.
    A foliculite é uma inflamação dos folículos pilosos que pode ocorrer em qualquer parte do corpo, incluindo a região genital.
    Quando a foliculite ocorre na região vaginal, ela pode levar ao desenvolvimento de lesões semelhantes a espinhas.
     
    As bactérias que podem causar infecções na região genital incluem as bactérias do grupo Streptococcus, Staphylococcus e Escherichia coli.
    Essas bactérias podem entrar na vagina através de uma variedade de meios, incluindo relações sexuais, contato com objetos contaminados ou pela própria flora bacteriana natural da região genital.
    As infecções bacterianas que afetam a vagina podem causar sintomas como dor, coceira, corrimento vaginal e vermelhidão. Além disso, a inflamação causada pela infecção bacteriana pode levar ao desenvolvimento de foliculite e, consequentemente, ao aparecimento de lesões semelhantes a espinhas.
    Se você suspeita de uma infecção bacteriana na região vaginal ou tem espinhas ou lesões na área genital, é importante procurar um médico para obter um diagnóstico preciso e tratamento adequado.
    Sempre deve ser acompanhado por um médico ginecologista
    O tratamento para infecções bacterianas geralmente envolve o uso de antibióticos, enquanto o tratamento para foliculite pode variar de acordo com a causa subjacente da condição.

  • É verdade que alguns produtos de higiene feminina, como sabonetes perfumados, podem causar alergias e irritação, o que pode levar ao desenvolvimento de espinhas?

    Sim, é verdade que alguns produtos de higiene feminina, como sabonetes perfumados, podem causar alergias e irritação, o que pode levar ao desenvolvimento de espinhas na região genital. Isso ocorre porque os sabonetes perfumados contêm ingredientes que podem ser irritantes para a pele sensível da região genital.
    A pele da região genital é delicada e sensível, e o uso de produtos agressivos, como sabonetes perfumados, pode desequilibrar o pH natural da vagina, remover as proteções naturais da pele e aumentar o risco de irritação, inflamação e infecção.
    A irritação da pele pode levar à formação de espinhas e outras lesões cutâneas.
    Além dos sabonetes perfumados, outros produtos de higiene feminina, como desodorantes íntimos, toalhas umedecidas e absorventes com fragrância, também podem causar irritação e aumentar o risco de desenvolver espinhas na região genital.
    É importante usar apenas produtos suaves e sem perfume na região genital e evitar o uso excessivo de produtos de higiene.
    Se você está enfrentando problemas de espinhas ou outras lesões na região genital, é recomendado procurar um médico ginecologista para obter um diagnóstico preciso e tratamento adequado.

  • O uso de roupas íntimas apertadas pode levar ao desenvolvimento de espinhas na vagina?

    Sim, o uso de roupas íntimas apertadas pode levar ao desenvolvimento de espinhas na região genital. Roupas íntimas apertadas podem causar atrito e irritação na pele, o que pode levar ao bloqueio dos folículos pilosos e ao desenvolvimento de foliculite, uma condição que se assemelha a espinhas.
    O uso de roupas íntimas apertadas também pode causar acúmulo de suor e umidade na região genital, o que pode favorecer o crescimento de bactérias e fungos na pele. Isso pode levar ao desenvolvimento de infecções, como a candidíase, que podem levar ao aparecimento de lesões semelhantes a espinhas.
    Além disso, o uso de roupas íntimas feitas de tecidos sintéticos, como nylon e poliéster, pode agravar ainda mais a irritação da pele na região genital. Esses tecidos retêm umidade e calor, criando um ambiente favorável para o crescimento de bactérias e fungos na pele.
    Para prevenir o desenvolvimento de espinhas na região genital, é importante usar roupas íntimas confortáveis e respiráveis, feitas de tecidos naturais como algodão, que permitem a circulação de ar e absorção de umidade. É recomendado também evitar o uso de roupas íntimas apertadas e manter a região genital limpa e seca. Se você está enfrentando problemas de espinhas na região genital, é recomendado procurar um médico para obter um diagnóstico preciso e tratamento adequado.

  • Como a depilação pode causar o desenvolvimento de espinhas na vagina?

    A depilação pode levar ao desenvolvimento de espinhas na região genital de algumas mulheres, principalmente se não forem tomados os cuidados adequados antes e após o procedimento.
    A depilação pode causar a irritação da pele, resultando em lesões cutâneas, incluindo espinhas.
    Quando os pelos pubianos são removidos pela depilação, a pele da região genital fica exposta e pode ficar mais suscetível a infecções, irritação e inflamação. Além disso, a depilação com lâmina pode causar cortes na pele, que são porta de entrada para bactérias e fungos, aumentando o risco de infecções.
    A depilação com cera quente também pode causar irritação e inflamação na pele, especialmente se for feita de forma inadequada ou com produtos de baixa qualidade.
    A cera quente pode remover a camada superior da pele, deixando-a vulnerável a infecções e a formação de espinhas.
    Para prevenir o desenvolvimento de espinhas após a depilação, é importante tomar alguns cuidados, como manter a região genital limpa e seca, evitar o uso de roupas íntimas apertadas, não compartilhar lâminas ou outros objetos de depilação e usar produtos suaves e sem perfume na região genital.
    Por isso é sempre importante escolher um profissional qualificado para realizar a depilação e seguir as orientações de cuidados pós-depilação, como evitar a exposição ao sol e o uso de produtos químicos na região depilada.

  • O que é hidradenite supurativa e como ela pode causar espinhas na vagina?

    Hidradenite supurativa é uma condição inflamatória crônica de pele que afeta as áreas de atrito, como as axilas, virilhas e região genital. Ela é caracterizada pelo surgimento de nódulos dolorosos, caroços e abscessos que podem se assemelhar a espinhas.
    Na região genital, a hidradenite supurativa pode causar a formação de nódulos, caroços e abscessos nas áreas de atrito, como a virilha e a área entre as nádegas.
    Essas lesões podem ser dolorosas, com pus e sangramento, e podem se assemelhar a espinhas.
    A hidradenite supurativa é uma doença crônica e progressiva, e o tratamento geralmente envolve medidas para controlar a inflamação, reduzir a dor e prevenir a formação de novas lesões.
    O tratamento pode incluir o uso de antibióticos, medicamentos anti-inflamatórios, drenagem de abscessos e cirurgia para remover lesões avançadas.
    Consulte sempre um médico.
    Embora a hidradenite supurativa seja mais comum em áreas de atrito, ela também pode afetar outras partes do corpo, como as axilas e o couro cabeludo.
    Se você está enfrentando problemas de espinhas na região genital ou em outras áreas do corpo, é importante consultar um dermatologista para um diagnóstico preciso e tratamento adequado.

Larissa Lopes em blogbeyou
Meu nome é Larissa Lopes, tenho 24 anos, nasci em Uruaçu, interior de Goiás, e moro em Goiânia desde os meus 18.
Sou aquariana e recentemente descobri que meu ascendente é em Áries. Antes eu achava que era em Touro, e quando descobri que não, chorei uns três dias (kkkkcrying).
Sou jornalista e atualmente trabalho em rádio, meio de comunicação que amo desde a faculdade. Já passei por redações on-line e também por Assessoria de Imprensa.
Amo o mundo da comunicação e conhecer sobre os mais diversos assuntos como moda, mundo pop e política.