Pular para o conteúdo
Início » Gaslighting: Como saber se você está sendo vitima de manipulação?

Gaslighting: Como saber se você está sendo vitima de manipulação?

O que é Gaslighting?

Saiba se em seu relacionamento você tem passado pelo gaslighting. E como o gaslighting pode trazer danos a saúde mental. Aprenda, também, como sair dessa.

O que é Gaslighting?
Fonte: TNH1 – O que é Gaslighting?

O gaslighting pode caracterizar-se, sobretudo, como uma violência psicológica. Geralmente, acontece em relacionamentos amorosos.

Ou seja, ocorre o gaslighting quando se tem atritos e desentendimentos dentro da relação. No entanto, ele só existe quando o contexto envolve a manipulação e a distorção de fatos, afim de gerar medo e insegurança. A partir disso estabelece-se o gaslighting.

O termo gaslighting não tem tradução livre para o português. Porém, ele refere-se a uma maneira sutil, mas bastante eficaz de abuso emocional. Ou seja, o agressor distorce, manipula e omite informações. Afim, de que a vítima questione sua lucidez, a sanidade e seus sentimentos.

Consequentemente, uma pessoa que sofre com o gaslighting pode apresentar instabilidade emocional. Principalmente, nos relacionamentos interpessoais e também com relação a memória.

O gaslighting é apenas o início e é um sinal, de que, podem estar por vir outras violências dentro do relacionamento. Como a violência física, moral, patrimonial e, igualmente, a sexual.

O que é Gaslighting?
Fonte: Portal Sempre Bem – Pague Menos – O que é Gaslighting?

O perigo do gaslighting

O perigo maior do gaslighting é exatamente por ser um tipo de violência psicológica. As manipulações causam danos as vítimas. Geralmente, pessoas que não conseguem terminar relacionamentos doentios estão, sobretudo, com a autoestima baixa. Tudo isso, por causa do abuso sofrido.

Como inicia o gaslighting?

O gaslighting inicia-se muito sutilmente. Sobretudo, com pequenas manipulações ou acusações que acabam por abalar a autoconfiança. Dessa forma, a vítima de gaslighting começa, aos poucos, acreditando mais no parceiro (a) do que em si mesma (o). Constantemente começa a se perguntar “será que não estou sendo louca? Será se não estou exagerando?”.

Vítima de gaslighting
Fonte: Tudo Para Homensvítima de gaslighting

A medida que o parceiro vai tomando confiança as práticas de gaslighting aumentam. Assim, ele pode atribuir às suspeitas e demandas emocionais da vítima sua falta de envolvimento. Ou seja, ele acaba oferecendo como justificativa o descontrole da própria vítima.

A intenção sempre é essa: desrespeitar e maltratar o próximo em benefício próprio. Dessa maneira, mesmo quando confrontado por tal comportamento, ele sempre negará as más intenções.

Por serem recorrentes as manipulações desestabilizam a vítima que sofre com o gaslighting. Ela ficará sempre a mercê das opiniões do cônjuge. Por isso, também sempre estará em busca da aprovação sobre suas escolhas.

Infelizmente, essa forma de violência é muito poderosa. Pois destrói o amor próprio e a saúde mental das suas vítimas. Tornando-as assim prisioneiras de relações abusivas.

Por que é mais comum mulheres sofrerem gaslighting?

Por que é mais comum mulheres sofrerem gaslighting?
Fonte: G1- Globo – Mulheres vítimas de gaslighting

O termo gaslighting surgiu após o filme gaslightingt, ou, À Meia Noite. O filme basicamente é baseado na história de um marido que tenta de inúmeras maneiras deixar sua esposa louca. Ele cria situações e mudanças na casa onde vivem. Afim de que ela questione a própria sanidade mental. Tudo isso, para poder ficar com a fortuna dela.

Deixando claro, o gaslighting pode acontecer com qualquer pessoa. Contudo, é mais frequente em mulheres. Isso acontece por uma série de questões. Principalmente, por conta da cultura patriarcal. Ela vem impondo desde sempre que as mulheres têm menos controle emocional.

Como identificar um gaslighting?

Como identificar um gaslighting?
Fonte: Não Era AmorComo identificar um gaslighting?

Por as manipulações serem sutis fica difícil de identificá-los. Eventualmente a vítima de gaslighting é acometida por depressão e esgotamento psicológico. Assim, fica incapaz de perceber a gravidade das atitudes do parceiro abusivo.

É recomendado, que pessoas que estiverem nesse tipo de situação procurarem ajuda psicológica. A percepção pode trazer choque, mas é extremamente necessário. Assim, podem reagir e sair do relacionamento abusivo.

Outra coisa que pode criar resistência, é o sentimento pelo parceiro. A vítima, provavelmente, pode criar desculpas para o comportamento do abusador. Afim de nutrir afeição por ele. Portanto, tente levar em conta a opinião de amigos e familiares. Essas pessoas podem te ajudar a enxergar a verdade.

A principal maneira de identificar um gaslighting é, sobretudo, por meio da reflexão. A vítima precisa analisar o comportamento do cônjuge de maneira racional. Perguntando-se:

  • Quais emoções são sentidas a partir de palavras e atitudes do seu abusador.
  • Elas são tranquilas ou despertam ansiedade?
  • Trazem mais estresse ou são confortáveis?

Em seguida, reflita sobre as ocasiões em que seu parceiro mentiu. Se as vezes forem altas, é possível que você esteja passando por isso. Contudo, sem perceber nada.

Para tirar a prova final, tire suas dúvidas com uma conversa. Dessa forma, o parceiro abusivo tenta mostrar de todas as formas que a vítima está errada. Ou até mesmo confusa, tirando de si a responsabilidade do seu comportamento. Ele ainda faz questão de dizer como a vítima deve se sentir em relação a conversa.

As frases típicas usadas por quem comete

Violência psicológica
Fonte: Psitto

Vamos te ajudar na sua reflexão sobre o assunto. Confira a abaixo as frases mais usadas por quem pratica essa violência psicológica:

  • “Você está louca”;
  • ” Você está imaginando coisas”;
  • “Não foi assim que aconteceu”;
  • “Deixe de ser dramática”;
  • ” O seu problema é que….(crítica a personalidade da vítima)”;
  • “Não sei do que você está falando”;
  • ” Você é muita insegura”;
  • “Não está vendo que eu estou brincando?”;
  • “Você implica com tudo”;
  • ” A culpa é sua”;
  • ” Você é sensível demais”;
  • ” Você entende tudo errado”;

Porém é preciso prestar atenção. Enquanto existem pessoas que sentem prazer em causar desconforto no outro. Existem outras pessoas que não admitem por serem inseguros. E indivíduos assim, tendem a mentir para esconder como são.

Diferentemente do parceiro abusivo, o parceiro inseguro pode admitir suas inseguranças. Principalmente em terapias de casais, ou também, em conversas íntimas.

Não é impossível, mas ele consegue pedir perdão. Mas isso, somente a medida que ele for curando suas feridas emocionais. Porém é preciso insistir bastante para que a pessoa abandone o medo.

Como se livrar de um relacionamento abusivo assim?

O primeiro passo é reconhecer os sinais que você está sendo vítima de gaslighting. Não é fácil, mas o ideal seria afastar-se do abusador o quanto antes. Portanto, é necessário contar com o apoio de pessoas próximas. Elas vão ajudar você a sair dessa.

Outro passo importante é o acompanhamento com o profissional. Busque fazer terapia. Com certeza a ajuda de um psicólogo vai fazer toda a diferença. Afinal sua autoconfiança está abalada, assim como sua autoestima. E isso pode levar um tempo para voltar ao normal.

Você vai precisar de ajuda também com o amor próprio. Além de reconstituir formas saudáveis de como se relacionar novamente.

De acordo com profissional da área, é difícil mesmo sair de relacionamentos assim. Porque apresentam duas partes: a pessoa que manipula, que exerce controle sobre a outra. E uma outra que é mais vulnerável a esse tipo de comportamento.

Por isso, o passo mais importante é a recuperação da autoconfiança da vítima. Assim, o ciclo de abuso vai se fechando com a ajuda de profissionais, familiares e sobretudo amigos.

O que achou da matéria? Comente aqui se você já sofreu gaslighting

Em seguida, leia também Relacionamento abusivo: como decifrar se estou em um?

Fontes: Viva Bem – Uol , Minha vida, Vittude Blog

Ingrid De Carvalho em blogbeyou
Ingrid Carvalho, tenho 24 anos, sou formada em jornalismo pela PUC-GO. No entanto, concidentemente o destino quis que eu fosse social media. Então de redatora de agência passei a ser social media. Fiz especialização pelo IPOG e diversas mentorias online. Gosto de signos, acredito que em toda história tem verdade. Desconfiada, curiosa e empolgada, amo escrever e amo me conectar com as pessoas. Meninas, mulheres são meu público preferido assim como os jovens. Sou muito determinada e sonhadora, acredito que um dia vou estar em New York com meu expresso lendo meu jornal diário enquanto administro meus negócios. Amo sonhar grande. Prazer, Ingrid.
Ingrid de Carvalho

Deixe um comentário